30 de setembro de 2010

Mais Navios na Costa Brasileira


Foto: Divulgação MSC.
Nova temporada de cruzeiros terá mais navios na costa brasileira

Temporada 2010/11 começa em outubro e segue até maio do ano que vem. Expectativa é de que 886 mil cruzeiristas percorram 21 cidades do litoral.




A próxima temporada de cruzeiros marítimos, que começa em 3 outubro deste ano e segue até maio de 2011, trará para a costa brasileira 20 navios - dois a mais do que na temporada passada, segundo a Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Abremar).
Os 20 navios da temporada 2010/11 representam 10% da frota de 200 transatlânticos em operação no mundo. Entre eles estão cinco embarcações de bandeira internacional, que virão pela primeira vez ao país.
A expectativa da Abremar é de que 886 mil cruzeiristas aproveitem os mais de 400 roteiros que irão percorrer 21 cidades do litoral brasileiro. Se a estimativa se concretizar, o índice corresponderá a um crescimento de 23% com relação à temporada anterior.
Segundo a Abremar, entre os cruzeiros há roteiros de três e quatro noites e outros mais longos, como os de sete, oito, nove e até dez noites. Alguns cruzeiros incluem Buenos Aires, Montevidéu e Punta del Este como destino.
Já os destinos nacionais são Angra dos Reis, Ilha Grande, Ilha de Jaguanum, Búzios, Cabo Frio e Rio de Janeiro, no estado do Rio; Fernando de Noronha e Recife, em Pernambuco; Fortaleza, no Ceará; Ilha Bela, Santos e Ubatuba, em São Paulo; Ilhéus e Salvador, na Bahia; Itajaí, São Francisco do Sul e Porto Belo, em Santa Catarina; João Pessoa, na Paraíba; Maceió, em Alagoas; Natal, no Rio Grande do Norte; e Vitória, no Espírito Santo.
Segundo a associação, o destino em que estão previstas mais visitas é Santos (SP), com 651.444 visitas, das mais de 3 milhões esperadas na temporada 2010/11. O segundo lugar fica com Rio de Janeiro, onde devem ocorrer 507.031 visitas, seguido de Búzios, com 401.445.
Empregos
A Abremar prevê a geração de 4 mil empregos diretos durante a temporada de cruzeiros.
Os navios de cruzeiros representam um incremento de 40% nas economias das cidades portuárias, segundo a associação.
Fonte: G1



Nenhum comentário:

Postar um comentário